figurinhas juntas.png
Gilda Abreu_.jpg

Gilda Abreu


Foi uma das primeiras diretoras do Brasil. Natural de Paris, Gilda se mudou para o Rio de Janeiro com 4 anos e aqui ela obteve destaque como diretora, atriz, cantora, roteirista e escritora. Sua carreira começou no teatro. Como atriz, participou na peça “A Canção Brasileira” (1933). Essa produção teatral muda sua vida, não apenas por ser muito popular com o público, mas também por que é a primeira peça que protagoniza com seu futuro marido Vicente Celestino. Depois da fama, ela é convidada para estrelar no filme “Bonequinha de Seda” (1936). Após esse breve período nas telonas, Gilda volta a se dedicar ao teatro escrevendo e dirigindo peças.


A peça o “Ébrio” fez tanto sucesso com o público, que ela foi chamada para dirigir uma adaptação para o cinema. Depois desse, ela dirigiu mais dois filmes “Pinguinho de Gente” (1947) e “Coração Materno” (1951) onde também atuou. Nenhum dos dois obteve o êxito na bilheteria do primeiro. Por isso, decidiu se dedicar somente a escrever. Se destacou criando radionovelas. Com 73 anos, fez seu último trabalho no audiovisual, um documentário curta metragem , “Canção De Amor” em homenagem a seu falecido marido.

 

*Texto por Carol Lach 

O Ébrio


Diretor: Gilda Abreu
Duração: 126 m

Ano: 1946

País: Brasil
Elenco: Vicente Celestino, Rodolfo Arena, Walter D'Ávila, Antonia Marzullo.
Produção: Adhemar Gonzaga, Gilda de Abreu
Fotografia: A.P. Castro
Roteiro: Gilda Abreu, Vicente Celestino.
Trilha sonora: Vicente Celestino
Gênero: drama/musical


Sinopse: Gilberto Silva (Celestino) é um jovem estudante de Medicina rico do interior cujo pai perde a fazenda e o deixa na miséria. Sem apoio de ninguém, Gilberto abandona os estudos e vai para a cidade grande, onde começa perambular até conhecer o bondoso padre Simão que abre suas portas e o ajuda a procurar emprego. Com talento musical, Gilberto compôs "Porta Aberta" e se inscreve num programa de calouros numa estação de rádio, graças ao qual começa a ganhar notoriedade e algum dinheiro para terminar seu curso de medicina. Conhece sua futura esposa Marieta que trabalhava de enfermeira no hospital. Depois de alguns acontecimentos envolvendo familiares inescrupulosos e a perda da esposa, ele decide viver como um fantasma, começando a se afogar na bebida e vagabundagem.