figurinhas juntas.png

“Querer ser livre é também querer livres os outros.” 

 Simone de Beauvoir


 

As mulheres representam mais de 50% população brasileira, no entanto, ainda somos praticamente invisíveis nas produções artísticas nacionais. Segundo pesquisa estatística publicada em 2014 pelo Instituto Gemma sobre a produção audiovisual no Brasil, apenas 13,7% dos filmes produzidos aqui são dirigidos por mulheres, e esse dado se torna ainda mais assustador quando descobrimos que, entre essas diretoras, menos de 1% é de mulheres negras.

 

A Plataforma Mulheres Audiovisual surge não somente como uma proposta à falta de visibilidade dos trabalhos dessas mulheres, mas também, como um importante registro sobre a História e a Memória da participação fundamental das mulheres na construção da cinegrafia nacional. A nossa ideia principal é dar visibilidade às produções contemporâneas de mulheres e, também, criar um instrumento de divulgação, de registro histórico e de memória, e uma ferramenta de construção de novas narrativas sobre o papel da mulher no cinema e na produção da cultura cinematográfica e do audiovisual no Brasil.

O cinema tradicional, no Brasil e no mundo, se instituiu e se manteve sempre a partir de uma narrativa hegemônica estruturada pelo e para o olhar masculino. Entretanto, as narrativas femininas sempre se insurgiram nesse cenário como uma forma de resistência às representações masculinas sobre a sociedade e, principalmente, sobre as próprias mulheres e sobre os significados do “feminino”. Assim sendo, ainda que possamos dizer que as mulheres sejam educadas com base em narrativas escritas e perpetuadas por homens e, muitas vezes, elas se identifiquem com esse olhar masculino, a construção de um espaço de registro e divulgação das produções femininas se torna fundamental para o diálogo e aprendizagem entre mulheres e para o exercício da ruptura com as representações e narrativas centradas unicamente no olhar masculino. É nesse sentido que se configura o projeto deste site.

Com base no desenvolvimento de novas tecnologias, em estudos sobre novas plataformas digitais e em conceitos como o “colaboração”, “transmídia” e “convergência”, o Mulheres Audiovisual pretende levantar, reunir, divulgar e distribuir não somente as produções femininas no audiovisual, mas também informações técnicas e históricas relevantes sobre a história das mulheres no cinema, assim como promover, o máximo possível, a participação de novas cineastas na produção nacional e a criação de um público, tanto feminino quanto masculino, que possam colaborar para a transformação do cenário audiovisual no Brasil e do lugar da mulher nessas produções.

O que o Mulheres Audiovisual pretende com a ideia prática de transmídia é estabelecer uma plataforma de comunicação e de convergência entre as informações e os registros (históricos e atuais) das produções audiovisuais de mulheres brasileiras. Com base nas informações levantadas por nossa equipe de pesquisadores e por meio da colaboração de nossos seguidores e espectadores, nosso site vai reunir conteúdo em diversos formatos e linguagens, tanto no que diz respeito às produções nos suportes mais conhecidos e tradicionais, como àquelas produzidas a partir de novas tecnologias e novas plataformas digitais. Inspirada em Netflix, Afroflix, Odeon, Retinalatina, todos canais baseados em transmissões tipo streaming. Sempre centrado na produção audiovisual das mulheres brasileiras, pretendemos ampliar as vozes e as narrativas das mulheres no cenário artístico nacional e a projeção progressiva dessas mulheres no mundo artístico globalizado.

Nosso sonho é grande e pretendemos ganhar o mundo. Acompanhe e participe do Mulheres Audiovisual!