figurinhas juntas.png
Jussara Queiroz_.jpg

Jussara Queiroz

Potiguar nata, a cineasta Jussara Queiroz iniciou o contato com a sétima arte precocemente, pois seu pai era proprietário do único cinema da cidade onde moravam. Em seus filmes ela traz para discussão um conteúdo político, a referência ideológica à esquerda e a mobilização popular, aliás, diria que estes são aspectos fundamentais contidos em suas obras documentais e, na maioria, experimentais. Ela documentou as lutas das classes sociais, a exploração nos canaviais, a desvalorização do homem do campo, dos sem tetos e das crianças sem direito à Educação. Premiada em todos os continentes Jussara Queiroz teve a carreira interrompida na década de 90 devido a problemas de saúde. Dentre suas obras, podemos citar: “Fora de ordem”(1982); “Acredito que o mundo será melhor”(1983); “Um caso de vida ou morte”(1985); “Um certo meio ambiente”(1986); e “A árvore de Marcação”(1993).

 

 

*texto por Ana Dantas

A ÁRVORE DA MARCAÇÃO


Direção: Jussara Queiroz
Atores: Marcélia Cartaxo, Jurandir de Oliveira, Soia Lira, Fernando Mercês, Fernando Teixeira, Edinaldo do Egito, Eneas Alvarez, Domar Marvid, João Valença, José Arimatéia, Marcos Gerbase.
Roteiro: Jussara Queiróz, Luelane Loiola, Wolf Gauer.
Argumento: Livro Crianças em Ação, do padre Reginaldo Veloso.
Fotografia: Tuker Marçal e Nélio Ferreira.
Música: Geraldo Brandão.

Sinopse: Jocélia, jovem estudante de Direito, reencontra em seu trabalho o Inspetor, personagem violento e autoritário, que lhe recorda sua infância em Marcação, pequeno vilarejo da zona canavieira da Paraíba. Ali, a maioria das crianças trabalha, desde os cinco anos de idade, nos canaviais e no mangue, e tem seus direitos desrespeitados pelos poderosos do local. Um dia chega alguém no vilarejo... A partir desse momento Jocélia e seus amigos percebem o que está se'passando e organizam uma luta contra a absurda situação da comunidade que é obrigada a pagar até a água que retira do chafariz público. O elenco do filme é totalmente nordestino, com predominância de artistas paraibanos. Participam, também, crianças e adolescentes de Marcação que viveram personagens reais na história que agora apresentam.