figurinhas juntas.png
Lucélia Santos_.jpg

Lucélia Santos



Além de atriz, reconhecida internacionalmente pela sua atuação na novela “Escrava Isaura”(1976), Lucélia Santos é cineasta. Lucélia protagonizou muitas novelas da teledramaturgia brasileira, tais como: “Locomotivas”(1977), “Feijão Maravilha”(1979), “Água Viva”(1980), “Ciranda de Pedra”(1981), “Guerra dos Sexos”(1983), “Vereda Tropical”(1984) e “Sinhá Moça”(1986). Todas consideradas um clássico da teledramaturgia brasileira. E a lista não para por aí, com: “Engraçadinha”(1981), “Bonitinha, mas ordinária”(1981) e “Álbum de família”(1981), Lucélia se transformou em uma musa rodriguiana.

 

Em 1985, a atriz ganhou na China o mais importante prêmio de sua carreira: o "Troféu Águia de Ouro". Este troféu foi concedido pela primeira vez a uma atriz ocidental, fruto da sua atuação em "Escrava Isaura”(1976). Lucélia Santos marcou sua estréia como diretora e produtora de cinema com o documentário “Timor Lorosae - O Massacre Que o Mundo Não Viu”(2001). Nele, ela confirma sua posição de apresentar assuntos pouco abordados, divulgando uma causa que vem defendendo há anos. O documentário foi censurado no 8º Festival Internacional de Cinema de Jacarta.

 


*texto por Ana Dantas
 

Timor Lorosae - O Massacre Que o Mundo não Viu

Direção: Lucélia Santos
Roteiro: Pedro Neschling e Lucélia Santos
Género: Documentário
Música: Carlos Pacini e Carlos Pacini Filho
Direção de fotografia: Luís Abramo
Edição: Mair Tavares
Companhia(s) produtora(s): Nhock Produções
Lançamento: 2002
Idioma: português

Sinopse: Narrado por Lucélia Santos, o filme conta a história de Timor-Leste, desde sua colonização pelos portugueses até a independência, passando pelo trágico período de ocupação indonésia.